L’Interdit - Givenchy

L’Interdit - Givenchy

Um tributo ao feminismo ousado. O conceito gerador deste perfume da Givenchy deixa antever uma realidade que, aos nossos dias, ainda é uma bandeira de luta: o girl empowerment. Mais do que um conjunto de soluções políticas ou campanhas sociais é uma atitude e é precisamente esta atitude que o L’Interdit procura explorar.

A fragrância apresenta-se como uma composição Oriental Floral, tal como os grandes sucessos de perfumaria feminina contemporânea – por exemplo o Good Girl ou o Yes I Am – com um acento muito interessante de Tuberosa combinada com a Flor de Laranjeira; a sensualidade do Jasmim e do Patchouli também se conjugam bastante bem o carácter misterioso do Vetiver. Trata-se de uma fragrância que explora muito bem o carácter da mulher cosmopolita: forte, determinada, bem-sucedida, sensual e, sobretudo, muito ousada num equilíbrio muito bem conseguido, na minha opinião, de elementos florais brancos com acordes intensos “amadeirados”.

Um apontamento ao frasco como um objeto redondo, bem trabalhado, com linhas bem cortadas. Um acessório eclético que pretende refletir a versatilidade da pessoa que o usa.

Do meu ponto de vista o L’Interdit tem todos os argumentos necessários para se tornar um clássico de perfumaria feminina do século XXI com o enorme mediatismo que o seu anúncio trouxe. Estarei cá para assistir à consagração deste perfume.

José Cândido | Novembro 2019